Monday, April 30, 2007

Todo seu jogo faz aproximar.
Eu crio assas,
me aconchego.
De repente muda,
junto minha tática.
Continuo no jogo,
aprendo a manter-me longe.
Passa o verão.
Você, sutil
retoma a primeira jogada.
Me faço de forte.
Refaço minha fortaleza,
protejo meus peões.
Mas quando menos espero
cá estou cedendo seu avanço.

5 comments:

Wagner said...

o avanço de certas pessoas sobre nós, vez enquando, parece ser um avalanche que nos trucida a alma!

fabio jardim said...

xeque!

Bruna Maria said...

Imagem boa... é um jogo mesmo. E jogo impõe vencedor e vencido. (Medo.)

Se bem que, no sentido do seu poema, acho que há como haver dois vencedores. Hehhe.

Beijos!

Ren Oliver said...

Esse é um dos jogos que mais me sinto derrotado quando perco, 1 tapa pro meu ego

Diego said...

blog abandonado... vou invadir!

Poema mto bom!